anúncio dopc

anúncio dopc

Uma noite de vinhos portugueses da Manz Wine e um único branco no mundo da uva Jampal

31 de outubro de 2013

Os vinhos foram apresentados a um pequeno grupo de apreciadores: Dulcino Tose, Douglas Chamon, o empresário e blogueiro de vinhos Silvestre Gonçalves, Raul Silva, o homem da Lusistanus Brands, Antonio Carlos, Marli, Rogergio Baracho, Arnaldo Seixas, Olício Santana.

O empresário Carlos Meneghel e o representante da Lusitanus Brands, Raul Silva, apresentaram nesta quarta-feira em casa do casal Antonio Carlos e Marli Siqueira Leite os vinhos da Manz Wine, vinícola do ex-goleiro brasileiro Andre Manz, situada em Chelheiros, uma comunidade próxima a Lisboa.

Raro? Raro não: ÚNICO!


O primeiro a desfilar foi o branco "Dona Fátima", um vinho Premium top do brasileiro André Manz. É o único vinho do mundo feito da uva Jampal, que para o mundo do vinho português havia sido extinta há décadas.

A uva Jampal foi redescoberta por acaso numa propriedade comprada pelo ex-goleiro Andre Manz, depois de intensas pesquisas por enólogos chamados a começar um projeto pessoal do brasileiro.

Os enólogos, ao descobrirem que entre as vinhas da propriedade haviam encontrado exemplares da Jampal aconselharam Andre a se desfazer delas e começar vinhas novas com outras variedades.

- Antonio Carlos Leite e Raul Silva exibindo um troféu.

Andre não aceitou a sugestão afirmando que queria fazer vinhos apenas para consumo próprio e para seus amigos. A sorte sorria para o brasileiro radicado em Portugal.

O projeto cresceu e surpreendeu o mundo todo, ao ser lançado o vinho branco Dona Fátima, o único vinho do mungo produzido somente com a suposta extinta uva Jampal.

Resultado: Andre Manz hoje coleciona medalhas não do futebol, mas por ter passado a produzir 2 dos 50 melhores vinhos de Portugal.

Na foto, os vinhos da Manz Wine que estão chegando ao mercado brasileiro.


Por ironia ou por um desses desígnios inimagináveis, o que seria um projetim de "vinhos pessoais e para os amigos" transformou-se numa referência para a vinicultura de Portugal e lança o ex-goleiro de volta ao mundo das celebridades internacionais.

Pitaco do Oleari

Para um véi repórter que conhece a cidade às avessas, perder-se em Fradinhos foi prosaico: e quase me perdi duas vezes. Mas quis a sorte que eu tivesse o privilégio de participar de um encontro extremamente agradável. Marli Siqueira Leite e Antonio Carlos padecem da "manha" de promover sempre bons encontros. Pequeno grupo, formado por conhecedores de vinhos e este "aprendiz de engólogo". E não só isso: quis a sorte que eu provasse um vinho único no mundo, que é o branco Dona Fátima, da Manz Wine.

É preciso dizer que Dona Fátima será inesquecível por duas razões: é um branco dusbão, desses que a gente pode degustar nas horas amenas, em qualquer temperatura, após 10 horas da manhã, a qualquer hora da tarde, a qualquer hora da noite/madrugada.

É um top de linha. Deve chegar ao mercado ao preço de R$ 280,00 - não se esqueçam, é o único no mundo feito a partir da uva Jampal, quase extinta. E é muito bom.


Perguntei e o Raul Silva informou que tem sido feito um trabalho sistemático de resgate da uva Jampal, reproduzida segundo critérios técnicos para retirá-la da faixa de extinção. Afinal, o que se tirou dos velhos vinhedos da propriedade comprada por Andre Manz e que agora está sendo exibido em vistosas garrafas é um tesouro.

Deve ser perpetuado.

Ia tudo tão bem, mas tão bem, entre o branco Dona Fátima, o rosé muito interessante - destacado pelo Arnaldo, que não gosta de vinho rosé - e os três tintos mostrados, que ainda iria melhorar:

Marli e Antonio Carlos serviram essa costelinha aí da foto, ao molho de vinho com batata ao murro - homenagem ao português Raul Silva - que foi saboreada aos sons da Ana Maria Braga debaixo da mesa. Delicioooooosaaaaaaa!

Disse à Marli e ao Antonio Carlos: "quem fez esta, aprendeu com quem sabia".

O que mais se deve acrescentar? Vou deixar meu número de telefone, por via das dúvidas. Disse-me alguém dia desses: "nunca se sabe". Como os desígnios colocaram Andre Manz numa quinta portuguesa com videiras supostamente extintas que o colocaram no topo, pode pintar outra e a gente só vai se inssistirem muito. Gracias, amigos" (Oswaldo Oleari).

- Além do branco Dona Fátima, destacado acima, os demais vinhos de Andre Manz estão aí:
MANZ POMAR ESPÍRITO SANTO
Cor: Rubi intenso
Casta: 20% Touriga Nacional; 40% Aragonês; 30% Syrah e 10% Castelão.
Região: Vinho Regional Lisboa

MANZ ROSÉ
Cor: Rosa Claro
Casta: Castelão
Região: Vinho Regional Lisboa

MANZ CONTADOR DE ESTÓRIAS
Cor: Granada concentrada
Casta: Aragonez, Castelão, Touriga Nacional
Região: Península de Setúbal

MANZ DOURO
Cor: Cor intensa, violácea.
Casta: 50% Touriga Nacional e 50% Tinta Roriz.
Região: Alto Douro Vinhateiro

MANZ PLATÓNICO
Cor: Rubi
Casta: Aragonez, Castelão, Touriga Nacional
Região: Portugal

Serão comercializados e distribuidos no Espírito Santo pelo empresário Carlos Meneghel:
cvmeneghel@gmail.com

COMENTAR

Kaleki

Muito bom mesmo Oleari; parabéns pelas análises, muito boas; os vinhos todos maravilhosos, especialmente o branco com a Jampal e o tinto do Douro, para mim. Uma pena o vinho branco ser tão caro, "dada sua raridade", na visão do proprietário da vinícola. Como consultor econômico discordo desta avaliação, pois está havendo confusão entre raridade (um único produtor da uva) com dificuldade de aquisição de outros vinhos brancos tão bons com preços muito inferiores (neste caso, bons produtos similares mostram que ele não é raro); mas de qualquer jeito foi tudo de bom.

Kaleki

Entrou com um codinome Kaleki o meu comentário; foi Douglas Chamon que enviou

Don Oleari

Obrigado pela participação. De qualquer maneira, o branco, ao preço que estará no mercado, só meiando com uns 3 ou 4 parceiros, Concordo com você. Como disse à Marli Siqueira Leite, acho que voltarei aos dois tintos últimos, como espero voltar ao rosé. Salute! Bons vinhos para nosotros - de preferência a preços razoáveis.

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ:15.265.070/0001-49