anúncio dopc

anúncio dopc

G1 tá dando: Janot critica gestão da Petrobras e sugere demissão de diretores

9 de dezembro de 2014


9/12/2014 11h20

Procurador-geral classificou a gestão da estatal de 'cenário desastroso'.
Ele participou de evento que celebra o Dia Internacional contra Corrupção.


Do G1, em Brasília

Nas celebrações do Dia Internacional contra a Corrupção, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, classificou nesta terça-feira (9) de "cenário desastroso" a gestão da Petrobras e sugeriu a demissão da diretoria da estatal do petróleo. O chefe do Ministério Público também defendeu a punição de todos os envolvidos no esquema de corrupção que tinha tentáculos na petroleira.


- "Diante de um cenário tão desastroso na gestão da companhia [Petrobras], o que a sociedade brasileira espera é a mais completa e profunda apuração dos ilícitos perpetrados, com a punição de todos, todos os envolvidos. [...] Esperam-se as reformulações cabíveis, inclusive, sem expiar ou imputar previamente culpa, a eventual substituição de sua diretoria, e trabalho colaborativo com o Ministério Público e demais órgãos de controle", discursou Janot na Conferência Internacional de Combate à Corrupção, organizada pela PGR, em Brasília.

Em meio ao evento, o procurador-geral disse que o país vive atualmente um momento de "turbulência" devido aos escândalos envolvendo a Petrobras. Segundo ele, o Brasil "não tolera mais" a corrupção e a "desfaçatez" de alguns servidores públicos e de alguns empresários.

- "Ao nos reunirmos nesta data comemorativa, vivemos momento de turbulência, quando o país se vê convulsionado por um escândalo que, como um incêndio de largas proporções, consome a Petrobras e produz chagas que corroem a probidade administrativa e as riquezas da nação", enfatizou.

Controle e transparência

Rodrigo Janot também utilizou seu discurso para criticar os mecanismos de controle da Petrobras. Na visão do procurador, por se tratar de uma empresa de capital misto com controle majoritário da União, a estatal deveria aproveitar os escândalos de corrupção para rever suas estratégias de combate à irregularidades. Para ele, é necessário maior "rigor" e "transparência" na gestão da petroleira.

Nesta segunda-feira (8), o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, lamentou o fato de empresas estatais não terem aderido ao Observartório da Despesa Pública, divisão do órgão de fiscalização pública que cruza bancos de dados de setores governamentais. Responsável pelo combate à corrupção no Executivo federal, Hage explicou que as estatais possuem sistemas próprios de licitação, fato que acaba dificultando a fiscalização.

O chefe da CGU informou nesta segunda-feira que apresentou, em novembro, uma carta de demissão à presidente Dilma Rousseff. No discurso que fez na conferência de combate à corrupção, Janot comentou a saída de Jorge Hage do cargo.

- "Embora credor de merecido descanso, o País perde um grande colaborador e um parceiro fiel ao Ministério Público no combate à corrupção, esse flagelo que acaba subtraindo da sociedade, escolas, hospitais, investimentos em segurança pública, mais ainda, a cidadania", destacou o procurador-geral.

Fonte:
http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2014/12/janot-sugere-demissao-de-diretores-da-petrobras.html

09/12/2014 13h01 - Atualizado em 09/12/2014 13h54

Cardozo diz que há 'fortes indícios de corrupção' na Petrobras
Ele participou de evento que celebrou o Dia Internacional contra Corrupção.

Fonte:
http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2014/12/cardozo-diz-que-ha-fortes-indicios-de-corrupcao-na-petrobras.html

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ:15.265.070/0001-49