anúncio dopc

anúncio dopc

G171:: ‘Destruir e-mail sondas’, pede Marcelo Odebrecht, na prisão

24 de junho de 2015
REDAÇÃO



Marcelo Odebrecht na sexta-feira, 19, quando foi preso. Foto: Tiago Queiroz/Estadão




PF apreende bilhete com presidente da maior empreiteira do País capturado na Lava Jato por suspeita de cartel e corrupção


Por Julia Affonso, 
Fausto Macedo e 
Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba


A Polícia Federal informou à Justiça ter apreendido, por volta de 10 horas da segunda-feira, 22, um bilhete manuscrito do empresário Marcelo Bahia Odebrecht, presidente da maior empreiteira do País, que seria entregue a seus advogados. 

O bilhete, segundo a PF, contém a expressão ‘destruir e-mail sondas’. Nesta quarta-feira, 24, a PF informou ao juiz Sérgio Moro, que conduz as ações penais da Operação Lava Jato, que “como de praxe as correspondências dos internos são examinadas por medida de segurança”.

VEJA A ÍNTEGRA DA PETIÇÃO DA ODEBRECHT
A PF copiou o bilhete. Na noite de ontem, 23, a própria defesa da empreiteira entregou petição a Moro em que apresenta sua versão para o caso.

Foto: Reprodução
Clique para ampliar. 



Segundo a PF, uma das provas da Lava Jato que pode incriminar Marcelo Odebrecht, preso desde sexta-feira, 19, é uma troca de e-mails entre funcionários da empreiteira. 

A mensagem eletrônica, de 2011, faz referência à colocação de sobrepreço de US$ 25 mil por dia em contrato de afretamento e operação de sondas.

VEJA A ÍNTEGRA DO OFÍCIO

O e-mail foi enviado por Roberto Prisco Ramos para Marcelo Odebrecht e três executivos da empreiteira, Fernando Barbosa, Márcio Faria e Rogério Araújo, estes dois últimos também presos.

+ ‘O preso Marcelo escreve o tempo todo’, diz agente da PF
+ Troca de e-mail é uma das provas contra Marcelo Odebrecht

A descoberta do bilhete foi comunicada à Justiça Federal pelo delegado Eduardo Mauat da Silva, que integra a força-tarefa da Lava Jato. 

Ele informou que na manhã de terça-feira, 23, os advogados de Odebrecht, Dora Cavalcanti e Rodrigo Sanches Rios, estiveram em seu gabinete, 'os quais ponderaram que o verbo ‘destruir’ se referia a uma estratégia processual e não a supressão de provas, destacando que o documento original teria sido levado a São Paulo por outro advogado e que iriam apresentá-lo’.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Odebrecht informou que estava consultando a empresa.

Fonte:
http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/destruir-e-mail-sondas-pede-marcelo-odebrecht-na-prisao/?utm_source=estadao&utm_medium=newsletter&utm_campaign=manchetes

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ:15.265.070/0001-49