anúncio dopc

anúncio dopc

Memória - Rubens Pontes relembra uma lenda japonesa e um jingle de grande sucesso, da Varig

15 de fevereiro de 2016
Reeditada para acertar o linki do Jingle. Antes de assistir ao vídeo, leia o texto abaixo, recomenda Rubens Pontes.

Há uma antiga lenda japonesa datada do período Muromashi (século XV) que narra a história de um pescador chamado Urashima Tarô (o "japinha" do desenho, no vídeo ao pé do texto), que salvou uma tartaruga de um grupo de rapazes que a estavam maltratando.


No dia seguinte, uma tartaruga enorme se aproximou dele e lhe disse que a pequena tartaruga que ele salvara era na verdade a filha do Imperador do Mar, que gostaria de vê-lo e agradecer-lhe. Ela permitiu que ele subisse em suas costas e, através de magia, fez surgir brânquias em Taro para que ele pudesse respirar debaixo d'água. 

Assim pôde levá-lo a uma viagem para conhecer o fundo do mar e o palácio do rei-dragão. Lá o pescador se encontrou com o imperador e com a sua filha, a pequena tartaruga, que agora estava transformada em uma bonita princesa.

Taro ficou no palácio como hóspede de honra e muitas festas foram feitas em sua homenagem. Assim foram se passando os dias. Embora feliz nas águas marinhas, Urashima começou a sentir saudades de sua terra natal e de seus parentes, e pediu para voltar. 

Ao partir, recebeu da princesa uma arca de presente, com a promessa de que só a abrisse quando ficasse bem velho e de cabelos brancos.Ao chegar em sua cidade não a reconheceu, pois estava tudo muito mudado. Ele não conseguiu reconhecer nenhuma das pessoas da vila, os lugares já não eram mais os mesmos.


Começou a perguntar se ninguém conhecia um pescador chamado Urashima Tarō. Algumas pessoas disseram que tinham ouvido falar de alguém com esse nome, que havia desaparecido no mar muitos anos atrás. Taro acabou descobrindo que haviam se passado trezentos anos desde o dia em que havia decidido ir ao fundo do mar.

Tomado de grande tristeza, foi para a beira do mar na esperança de reencontrar a tartaruga, mas desesperou-se porque esta demorava e acabou abrindo a caixa que a princesa lhe havia oferecido. De dentro dela saiu uma nuvem de fumaça branca, que o envolveu. 

De repente, seu corpo tornou-se velho e enrugado, nasceu-lhe uma longa barba branca e suas costas curvaram-se com o peso de tantos anos. E do mar veio a voz doce e triste da princesa: "Eu lhe disse para não abrir a caixa. Nela estavam todos os seus anos ..." A caixa continha a "eterna juventude" de Urashima Taro e o pescador, sem reconhecer seu valor, deixou-a ir-se para sempre.

O "JINGLE" DA VARIG 

- No final dos anos 60 a VARIG inaugurava sua rota do Brasil ao Japão e, para comemorar, encomendaram ao notável "jinglista" ARCHIMEDES MESSINA, que, baseado na lenda, fez uma adaptação genial e acabou se transformando num enorme sucesso. 

Até hoje é considerado um dos "jingles" mais tocados no Brasil em todos os tempos. A gravação ficou a cargo da "TARGET AUDIO", a produção ficou a cargo de Eduardo Barros e a voz é da cantora japonesa ROSA MI YAKE, que naquela época fazia um sucesso enorme com o programa "Imagens do Japão" da Rede Record.


Rubens Pontes 
é jornalista 

Pitaco do Oleari

Para quem lidou com rádio e televisão, por dentro deles, muitos anos sabe uquiqui é relembrar um jingle de sucesso. Eram as "ferramentas" que vendiam tudo no rádio e na televisão. 

Rubens Pontes, Diretor da TV Tio, Diretor da TV Globo em Belzonte, Diretor dos Diários e Emissoras Associados de Minas Gerais, muitos anos em cargos executivos em Brasília, tem muitos registros importantes ao longo da sua riquíssima vida profissional. 

Tanto que só não escreveu um livrim contando tudo porque não quis. "Sua vida dá um livro", no caso do nosso Rubens, não é uma mera babação de ovo (OOleari).

O jingle para aí prum tanto de gente que "avuou" pela velha Varig...Varig...Varig...



COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ:15.265.070/0001-49