anúncio dopc

anúncio dopc

Aqui Rubens Pontes: Meu poema de sábado / As voltas que o mundo dá, Andra Valladares

25 de março de 2017
- "Preclaro Oswaldo Oleare:

- "Olha, tem um tesouro na casa em frente."

- "Mas não tem nenhuma casa em frente!"

- "Então vamos construir uma"...


Esse instigante diálogo dos Irmãos Marx (*) me faz evocar o pensamento
de Andra Valladares:

"Já quis abraçar o mundo
Hoje quero, simplesmente,
estar dentro do abraço
que me faz ganhar o mundo"


Essas divagações me ocorrem nesta outonal manhã de sábado quando,
ao ouvir a Rádio Clube da Boa Música, deixo minha alma se embalar no som que me abraça
como uma carícia da amada.


(*) Irmãos Marx: The Four Marx Brothers, sucesso na Broadway, anos 20 e grande sucesso no cinema, na passagem do cinema mudo pro falado.


Há, lá fora, um toque europeu no vento quase frio que sopra carinhosamente,
e eu me comovo com a leitura do poema "As voltas que o mundo dá".

A poeta, também cantora, compositora, criativa e criadora, é, como eu,
uma mineira que se capixabou plantando sua alma e seu coração na
paisagem que se altera entre montanha e mar.

Conheci Andra Valladares e sua voz marcando a brejeirice de
Clara Nunes, quando você, amigo Oleare, me encaminhou, faz tempo,
uma canção por ela composta e por ela interpretada, lembra-se?

Leio, neste penúltimo sábado de março e primeiro da nova estação,
com aplausos do Portal DOPC e da Rádio CBM,
"As voltas que o mundo dá", da vocalista compositora, acadêmica,
uma multi mídia na área da cultura, Andra Valladares.

O poema, musicado, foi interpretado pela autora.

Vale ler e ouvir. Construir uma casa em frente com seu tesouro
e deixar-se abraçar pelo mundo.
Abraço,
Rubens".


AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ
(também em CD, com Fábio Araújo)

Andra Valladares


Se você está por cima
Não esqueça do chão.
Se hoje sobra dinheiro,
Amanhã recessão...

Ninguém sabe o que está por vir
O destino é mistério só...

Ontem salmão grelhado
Hoje café sem pão.
Ontem carro do ano
Amanhã lotação.

Ninguém sabe o que está por vir
O destino é mistério só...

Roda a sorte,roda o azar
Roda a sorte, roda o azar.
Roda a sorte, roda o azar
Nas voltas que o mundo dá...

Ontem chegou forte meu filho
E hoje eu dando adeus ao meu pai.

Ventania que sopra e vai
Leva a gente onde quer levar...

Roda a sorte, roda o azar.
Roda a sorte, roda o azar.
Roda a sorte, roda o azar
Nas voltas que o mundo dá.





Rubens Pontes 
é jornalista,
radialista,
consultor de comunicação,
nosso sábio de plantão






COMENTAR

Andra Valladares

Grata pelo carinho dessa publicação,Rubens Pontes! Que essa casa seja construída com paredes de brisa, teto de nuvens de chuva fina e telhado de estrelas. Para que estejamos dentro sem perder nada do que está fora Grande abraço!

Laura Diniz

Ótima "brisa outonal" chegou por essas bandas! Sucesso e muita sorte para a Andra! Muitos outros "poemas" tão saborosos do Rubens Pontes, para nós.

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ:15.265.070/0001-49