anúncio dopc

anúncio dopc

Aqui Rubens Pontes: Meu poema de sábado / A lista, Oswaldo Montenegro + o livro de Rubens Pontes

6 de maio de 2017


Passos, saltos & quedas,
O livro de Rubens Pontes


https://rubenspontes.com.br/

Pitaco do Oleari

Antes do poema deste sábado, invado o espaço pra anunciar o livro de Rubens Pontes - à esquerda, foto da capa.

Aí embaixo, o texto que introduz à agradável leitura. Além de tudo, Rubens oferece um bom modelo a quem quer aprender a escrever, a descrever, a contar, a expor suas crenças e vivenças. O linki pra acessar está aí em cima.

E aproveito pra dizer que o livro foi todo trabalhado pelo ueibidisaini Lucas Scárdua, um jovem profissional a quem o experiente e vivido Rubens Pontes prestou todas as homenagens por ter chegado às soluções a que o autor almejava. A mim, só resta agradecer por conviver e aprender mais a cada dia bebendona sabedoria de Rubens e no talento do jovem e talentoso Lucas (Oswaldo Oleari ou Oleare).

O texto

- O mineiro Rubens Pontes é, antes de tudo, jornalista, com 70 anos de profissão. A vida também o levou 
a ser radialista e consultor de comunicação empresarial.
Segundo Ruens, este livro é "um registro de memórias e confissões, elaborado, tanto quanto possível, 
sem máscaras e feito de lembranças e desejos que sobreviveram à voragem do tempo".

O texto, simples e direto como as reportagens que tanto escreveu, também tem algumas pinceladas de publicidade
 - os dois ofícios que encantaram e sustentaram o autor, nesta sua passagem ainda não concluída 
pela Terra.

- Poderoso Chefão Oswaldo Oleare

Rendi-me sem defesa à sugestão da Rádio Clube da Boa Música para a publicação

e leitura, neste dia 6 de maio, do meu "Poema de Sábado".

Confesso que foi uma rendição honrosa por motivos que vão da beleza tocante dos

versos à homenagem que se pretende prestar a todos os que estão dobrando

ou já deixaram para trás o "Cabo da Boa Esperança" nos seus 50 anos de nascimento.

É uma canção, e sobretudo um poema de extraordinária composição que a melodia
só fez valorizar.

Acho meio pedante falar em reflexão, mas os versos nos induzem a ela e não há

como fugir dela as pessoas que ultrapassam a meia idade, homens e mulheres,

mas que servem também de alerta para os que ainda não chegaram lá.

O autor é Oswaldo Montenegro, um carioca de Grajaú que se formou
musicalmente - e intuitivamente - em São João del Rei, onde aos 13 anos de idade

venceu seu primeiro festival de música e se completa numa biografia que merece ser lida.

Conheci-o em 1971, em Brasilia, onde passou a morar (e se tornou "Cidadão Honorário" da

Capital da República) antes de fixar no Rio de Janeiro.

Compositor, intérprete, instrumentista, descobridor de talentos como Cássia Eller e Zélia Duncan,

parceiro de alguns dos maiores nomes da música popular brasileira, Oswaldo Montenegro foi


ainda cineasta laureado, vencedor com o melhor filme estrangeiro do Prêmio "California Awards" com

seu "Perfume de Memória." A trilha sonora do filme venceu ainda como melhor musica o Festival Internacional

de Toronto,Canadá.

Autor de 352 composições musicais, concordei, assinando em baixo, a indicação da RCBM

apontando para leitura neste sábado A LISTA., uma nova vertente da inspiração de Jorge Luís Borges

em "Instantes" e dos Titãs em "Epitáfio".

Vale cantar, entoado ou não, sob o chuveiro ou, se tiver, na capela ou no oratório de sua casa.

Ah! me lembra Oleare: se não puder cantar... recite em voz baixinha, introspectivamente.


A lista
Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar...
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria
Quantos amigos você jogou fora?
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender?
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber?
Quantas mentiras você condenava?
Quantas você teve que cometer?
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você?
Quantas canções que você não cantava
Hoje assovia pra sobreviver?
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você?




rubens pontes
é jornalista
radialista,
poeta,
escritor




COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - aldeia verbal produções e jornalismo - CNPJ:15.265.070/0001-49